quinta-feira, 23 de abril de 2009

Fundação das Artes Convida.

23/04/2009
Cultura
Fundação das Artes comemora 41 anos com atrações culturais

Da Redação

Divulgação
Grupo Júnior da Escola de Dança fará a apresentação do espetáculo Toda Menina neste sábado (25/04), com coreografia de Alessandra Fioranti e Claudia Hirota
O aniversário é neste sábado (25/04), mas a Fundação das Artes já começou as atividades em comemoração aos seus 41 anos nesta quarta-feira (22/04) com a apresentação do espetáculo Janis e a Tartaruga, encenado pela Cia. do Teatro Constantino Nery, de Portugal e o espetáculo teatral Assim que passarem cinco anos, uma produção do Núcleo 40 da Escola de Teatro, com direção de Celso Correia Lopes. A programação de aniversário vai até o final de maio e conta com exposições e atividades de Música, Dança, Teatro e Artes Plásticas.

Para a diretora de cultura da prefeitura de São Caetano, Liana Crocco, o maior motivo de comemoração da data é manutenção das atividades da escola desde a sua fundação, no ano de 1968. "Pode-se dizer que é uma escola única, capaz de oferecer as quatro linguagens artísticas no mesmo espaço físico, formando pensadores, músicos e artistas", destaca.
A estrutura da Fundação conta com escolas de Música, Teatro, Dança e Artes Visuais, a fim de formar profissionais para o mercado de trabalho. Os cursos profissionalizantes atualmente atendem cerca de 1,5 mil alunos por ano.

Personalidades reconhecidas nacionalmente, como Fábio Assunção, Marcos Frota, Cássia Kiss e André Segatti, já passaram pela escola de artes. Os músicos Amílton Godoy, Nelson Aires e Roberto Sion já foram professores na instituição, assim como Eugênio Kusnet, um dos maiores estudiosos de Teatro do Brasil. O trompetista Adenílson Telles, que está na Orquestra Filarmônica de Berlim, foi aluno e professor da Fundação das Artes.

Desde o início deste ano, a Fundação das Artes passou a fazer parte da Secult (Secretaria Municipal de Cultura) da prefeitura de São Caetano. Por isso a instituição está passando por uma reestruturação cultural que visa a união de diversas linguagens artísticas. "Está sendo feita uma reforma administrativa, já houve a troca da direção e a reestruturação trará novidades que devem começar a ser divulgadas a partir do meio do ano", comenta Liana.

Programação
Enquanto as novidades não são divulgadas, a dica é apreciar as atividades promovidas pela Fundação, quase sempre abertas ao público. A partir das 11h deste sábado (25/04) será aberta uma exposição de Arte em continuidade aos comemorativos. No saguão de exposições da Fundação das Artes ficarão expostos trabalhos dos orientadores e monitores da Escola de Artes Visuais até o dia 17 de maio. A visitação é gratuita, de segunda a sexta-feira, das 9h às 21h e aos sábados das 9h às 17h. Participam da mostra Anete Nascimento, Edmilson Kaloczi, Edvânia Rego, Liliane Santos, Martin Braga, Valdo Rechelo, Leila Ferrante, Miriã Abeid, Regiane Munhoz, Bianca Recchia e Roberto Lenhardt.

Música e Dança
Também neste sábado (25/04), a festa terá continuidade com a apresentação da performance Toda Menina, do Grupo Júnior da Escola de Dança, às 11h, no mesmo local da abertura da exposição. A apresentação reúne as escolas de Dança e Música da Fundação das Artes.
A coreografia do espetáculo é de Alessandra Fioravanti e Claudia Hirota. O público poderá acompanhar as bailarinas que dançarão sob o ritmo da música Toda Menina Baiana, de Gilberto Gil, executada pelos músicos Diego Leocárdio (percussão), Gustavo Merson (violão e voz) e Neto (percussão), sob coordenação de Noemi Munhoz.

Mais informações sobre a programação pelo telefone 4238-3030. (Colaborou Natália Fernandjes)

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Salão de Abril

Lançado no último sábado, o 60º Salão de Abril abre inscrições hoje e segue até o dia 18 de junho. O tema do evento vai discutir o lugar que arte ocupa

Raquel Gonçalves
da Redação

Qual o lugar da Arte?

A discussão continua. Depois de quebrar as paredes do museu e irromper no cotidiano das pessoas que transitam nos terminais de ônibus com obras espalhadas por toda parte, o 60º Salão de Abril dá continuidade à reflexão iniciada ano passado em torno da arte contemporânea e propõe o tema: Qual o lugar da Arte? “A arte perdeu aquela áurea sagrada. Ela não é mais aquilo que ninguém pode tocar. O Salão vem acompanhando esse movimento, pensando outros espaços para essa discussão”, explica a curadora do Salão de Abril que, neste ano, destinará R$ 2,5 mil para cada um dos 30 trabalhos selecionados.

Foram 59 edições de muito rebuliço. A saga contínua do evento de artes visuais mais importante da cidade segue em busca do formato perfeito. Há dois anos foi inserido no circuito nacional. Em meio a muitos erros e acertos, o Salão completa 60 anos mexendo com a cena cultural da cidade. Beira a terceira idade com um percurso longo, de idas e vindas. Agora, mostra-se maduro e com uma identidade mais delimitada. “O Salão de Abril foi sempre muito complicado. Se trazia um jurado do nível de Paulo Herkenhoff e o colocavam junto com jurados locais muito conservadores. Não se conseguia uma linha só, que marcasse uma arte da época. Era uma curadoria que confundia mais do que apontava caminhos”, avalia o artista plástico José Guedes, 51, que já teve mais de dez participações no evento.

Guedes, embora aponte as falhas ocorridas ao longo desse percurso, admite que é um evento de extrema relevância para a cena cultural do Estado. “O Salão foi fundamental para a consolidação do meu trabalho como artista plástico”, confessa. Desde 2007 aberto para inscrições de artistas de todo o País, o edital ainda concentra, entre os selecionados, maior número de cearenses. A curadoria do Salão está preparando uma articulação nacional para dar maior visibilidade ao edital. “Queremos intensificar a divulgação nos estados do Nordeste. A participação de artistas do Sul e Sudeste predominam entre os inscritos fora do Ceará”, esclareceu Maíra.

Para a artista plástica catarinense Camila Barbosa, 30, participar da edição passada do Salão de Abril com a instalação Firolídio significou um salto grande em sua trajetória de artista. “Soube através de um amigo, me inscrevi e entrei. Foi o primeiro Salão de nível nacional que participei e foi incrível, conheci gente de todo o Brasil. A ideia de ocupar outros espaços provoca uma reflexão enorme em torno da arte contemporânea. Principalmente sobre o tipo de trabalho que se adequa àquele lugar”, comenta satisfeita.


SERVIÇO

Inscrições para o 60º Salão de Abril. De 20 de abril a 18 de junho de 2009. Na Galeria Antônio Bandeira, Coordenação de Artes Visuais (Rua Conde D’eu, nº. 560, Centro. Cep: 60055-070), no horário de segunda a sexta das 9h às 12h e das 14h às 17h. O resultado da seleção será publicado no site www.salaodeabril.org e no site www.fortaleza.ce.gov.br nos dias 25 e 26 de junho e no Diário Oficial do Município de Fortaleza. Exposição:
17 de setembro a 31 de outubro de 2009.

domingo, 19 de abril de 2009

Repórte Diário - Fundação

ABC, domingo, 19 de abril de 2009



ANUNCIE:
(11) 4427-7800

17/04/2009
Cultura
Fundação das Artes comemora 41 anos

Da Redação

Divulgação
Espetáculo Janis e a Tartaruga acontece na próxima quarta-feira (22/04)
A Fundação das Artes de São Caetano, que iniciou suas atividade em 1968, vai comemorar 41 anos no dia 25 de abril. A partir da próxima quarta-feira (22/04) uma programação especial, com atividades de música, dança, teatro e artes plásticas, vai marcar a celebração pelo aniversário.

Desde janeiro de 2009, a instituição está integrada à Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura. A criação de uma nova estrutura cultural visa à união de diversas linguagens artísticas, desenvolvidas também pelo Departamento de Cultura, Fundação Pró-Memória, Coordenadoria Municipal da Juventude e pela Escola Municipal de Bailado.

Estrutura
Com uma estrutura que conta com escolas de Música, Teatro, Dança e Artes Visuais, a Fundação das Artes forma profissionais e público. Os cursos profissionalizantes que oferece, assim como sua produção artística, são referências no mercado profissional e no meio cultural. Atualmente, cerca de 1,5 mil alunos são atendidos por ano, em diversos cursos.

Já foram alunos da escola de artes personalidades como Fábio Assunção, Marcos Frota, Cássia Kiss e André Segatti. Os músicos Amílton Godoy, Nelson Aires e Roberto Sion já foram professores na instituição, assim como Eugênio Kusnet, um dos maiores estudiosos de Teatro do Brasil. O trompetista Adenílson Telles, que está na Orquestra Filarmônica de Berlim, foi aluno e professor da Fundação das Artes.

Teatro
A programação do aniversário começa na próxima quarta-feira (22/04), com o Circuito de Teatro Português, no Teatro Santos Dumont (avenida Goiás, 1.111), que contará com um workshop, a partir das 14h, e o espetáculo Janis e a Tartaruga, às 21h. As duas atividades têm entrada gratuita.

Encenada pela Cia. do Teatro Constantino Nery, da cidade de Matosinhos, em Portugal, o espetáculo apresenta a história de Janis, uma jovem que vive pegando carona pelas estradas de um país em mudança. O cenário é a década de 1960, época marcada por uma geração que experimentou as drogas e a libertação sexualmente, em um ambiente repleto de sentimentos antiguerra e antirracistas. Na peça, Janis é a voz de uma juventude que procurou, na diferença, um manifesto para a autoafirmação em meio a tantas tartarugas lentas colocadas no caminho.

O espetáculo teatral Assim que passarem cinco anos, que está em cartaz no Teatro Timochenco Wehbi, na Fundação das Artes (rua Visconde de Inhaúma, 730, bairro Nova Gerty), desde 15 de março, também integra o calendário comemorativo. Em cartaz até 23 de maio, é uma produção do Núcleo 40 da Escola de Teatro, com direção de Celso Correia Lopes.

De autoria do poeta e dramaturgo espanhol Federico Garcia Lorca, Assim que passarem cinco anos fala sobre o tempo e a morte. Escrita em 1931, a peça traduz as experiências do autor no universo surrealista espanhol vivido com o pintor Salvador Dali e o cineasta Luis Buñuel. A peça, construída em forma de disputas poéticas, com ritmos e rimas, apresenta personagens num universo absurdo, rompendo a lógica do tempo e espaço. As sessões acontecem aos sábados, às 20h, e aos domingos, às 19h. Os ingressos custam R$ 12 (ingressos promocionais com filipeta saem por R$ 8).

Artes Plásticas
No sábado (25/04), às 11h, a abertura de uma exposição de Arte dará continuidade aos eventos comemorativos. No saguão de exposições da Fundação das Artes ficarão expostos trabalhos dos orientadores e monitores da Escola de Artes Visuais.

Participam da mostra Anete Nascimento, Edmilson Kaloczi, Edvânia Rego, Liliane Santos, Martin Braga, Valdo Rechelo, Leila Ferrante, Miriã Abeid, Regiane Munhoz, Bianca Recchia e Roberto Lenhardt. A exposição fica no local até 17 de maio, com visitação de segunda a sexta-feira, das 9h às 21h, e aos sábados, das 9h às 17h. A entrada é gratuita.

Música e Dança
No dia 25, a festa continua com uma apresentação que vai reunir as escolas de Dança e Música da Fundação das Artes. A performance Toda Menina, do Grupo Júnior da Escola de Dança, será às 11h, no mesmo local da abertura da exposição. Com coreografia de Alessandra Fioravanti e Claudia Hirota, as bailarinas serão acompanhas pela música Toda Menina Baiana, de Gilberto Gil, executada pelos músicos Diego Leocárdio (percussão), Gustavo Merson (violão e voz) e Neto (percussão), sob coordenação de Noemi Munhoz.

Mais informações sobre pelo telefone 4238-3030.